sábado, 19 de setembro de 2009

Soneto

Posted in by Bruno Marconi da Costa | Edit

Incandescente lua no horizonte,
Ouça meu pedido entristecido,
Que clamo pelos ares, estarrecido,
Com lágrimas que me limpam a fronte.

 

Se esse desejo fosse falecido
Tal saudade, que minh'alma confronte:
Viveria, pois, ausente da fonte
Das dores que havia adquirido.

 

A lua não responde meu chamado,
Deixando-me na vida solitário
Calando meu coração torturado.

 

Entrego-me, então, ao meu calvário
Grito o que não havia gritado:
Presença sua é todo o necessário.

4 Comments


  1. Nanda says:

    Ah, se ferrar. Tu escreve bem demais pra um dislexico :{

    20 de setembro de 2009 18:19

  2. Fernandaköche says:

    NHOM *-* muito bonito :D

    :*

    13 de outubro de 2009 13:19

  3. Paula says:

    Suas palavras são de teor intenso.
    Seu blog é extremamente interessante. Confesso que são muitos os quais participo, mas este tem o seu diferencial. Existe uma personalidade única do outro lado da tela. Aqui nasce a nova leitora das suas letras pulsantes.

    www.paulamaximiano.blogspot.com

    30 de dezembro de 2009 17:21

  4. Céu do Entardecer says:

    Tbm virei fã e seguidora...
    Perfeitinho seu soneto...e seu blog..

    11 de março de 2010 18:18