quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Carta ao Sentimento de Perda

Posted in , , , by Bruno Marconi da Costa | Edit
Mente do Bruno, alguma data estipulada pelos homens.

Caro Sentimento de Perda,

Quando você vier, peço que seja tranqüilo e brando. Não me faça entrar em desespero, pois tenho que lidar com o que perdi, com o que ficou, comigo e com você.

Peço também para que não seja vazio e sem sentido, de tal maneira que, mesmo que sua presença seja algo negativo, eu possa colher algo que me faça amadurecer nesse estado ressentido.

Venha, e quando vier, faça-me sentir que perdi apenas o que realmente foi embora, e não todas as milhares de coisas ao meu redor que me fazem ter motivos para viver.

Já que você tem que vir, que me morda e me assopre, não me faça afogar em lágrimas e nem me sufocar no meu amor-próprio, mas sim a noção de que as coisas vão e vêm, e que nenhuma Vida é um caminho de terra trilhado no meio dos campos verdejantes, e sim asfalto esburacado no meio de uma cidade barulhenta e cheia de curvas.

Ao invés de me prender à coisa perdida, venha e me traga a Liberdade daqueles que amam puramente, sem egoísmo e com olhares gauché sobre tudo que já foi embora, prezando apenas pelo bem-estar dos que ficaram e de mim mesmo.

Enfim, queridíssimo Sentimento de Perda, seja Divino, e não Humano.

Beijos,

Bruno.

16 Comments


  1. videlkassuga says:

    queria saber de onde vc tira tanto assunto pra escrever ._. meu blog está às moscas.
    ;*

    9 de janeiro de 2008 10:18

  2. trov

    o mais "engraçado" é que eu estou com um terrível e doloroso sentimento de perda,pois um tio-avô meu que eu amava muito se foi

    sinceramente?
    vc é O cara,Bê-Khá!

    9 de janeiro de 2008 10:22

  3. Verônica says:

    Tava conversando sobre isso com a Vivian quando a gente tava aí na tua casa, principalmente essa parte do "Peço também para que não seja vazio e sem sentido"
    Gostei muito desse texto, muito mesmo! Ta ligado que vc vai lê-lo no meu velório né?
    rs

    9 de janeiro de 2008 10:30

  4. Cris

    que absurdo. :|
    queria eu entender essas coisas há um tempo atrás.

    :)

    9 de janeiro de 2008 10:36

  5. Darkness Field says:

    Nossaaaaaaa
    que lindo cunhado
    amei
    refleti com isso
    e que lindo
    "que seja divino, e não humano"

    vc escreve lindamente

    ;*

    9 de janeiro de 2008 12:54

  6. Daniel says:

    Nossa!
    Ficou linda a carta! *.*
    Parabéns, rapaz!

    Guarde para quando for fazer seu livro de crônicas! ;)

    9 de janeiro de 2008 15:17

  7. Gabriella says:

    É... faz sentido, faz sentido.

    Tem que pensar muito pra conseguir fazer isso de verdade ._.

    10 de janeiro de 2008 04:59

  8. Dodi says:

    o pior de tudo é qdo esse sentimento de perda vem "sem necessidade", como me acontece mtas vezes...

    10 de janeiro de 2008 09:13

  9. Jéssika Von Abel

    Adorei, adorei.
    Queria saber de onde você tira tanto assunto pra escrever! ._. [2]

    ihaIhaiahuaIA

    Beijo. :****

    10 de janeiro de 2008 09:38

  10. Gabryel says:

    Estimado Poeta,

    É com grande satisfação que vejo alguém compreender a natureza e a necessidade de minha existência. Ao contrário de você, não sou um exímio escritor, mas farei o meu melhor para que minhas intenções sejam aqui, de forma objetiva e serena, expostas.

    Meu caro, Eu nada mais sou do que aquilo que os homens buscam para si com sua mania obsessiva de tomar tudo como posse. O mundo é livre, as pessoas são livres - todas as coisas do mundo estão constantemente entrando e saindo de sua vida; eu sou constante, onipresente, eterno.

    A dor que você causará a si mesmo através de Mim é diretamente proporcional ao quanto sua natureza humana é corrompida; a humanidade é, por natureza, livre, ainda que detida em escalas de trabalho ou grades punitivas. Os pensamentos, sentimentos, sonhos, sempre, até nos mais negros tempos da História, são livres.

    Quanto mais é violada essa essência pura da Humanidade, mais sou visto de forma dantesca e vil; trago apenas aquilo que buscam para si próprio.

    Espalhe ao mundo tua mensagem e a minha, Poeta, e me escreva mais vezes.

    Com Amor,

    Sentimento de Perda.

    15 de janeiro de 2008 06:08

  11. Anônimo

    Olá para vc que escreve!

    Obrigada por traduzir em palavras, os sentimentos que se desenrolam nos momentos da vida.
    Entrei no seu blog por acaso, pois buscava na internet, palavras de conforto, para confortar um coração amigo.
    Com certeza a simplicidade de escrever, arraigada na essência de sua alma, faz com que surja na minha tela e na tela dos demais, a emoção em forma suave. Não pare de escrever... jamais. Mais uma vez, obrigada.

    14 de março de 2009 14:23

  12. anny-linhaozzy says:

    Luma indicou seu blog, junto com esta maravilha de texto.
    Parabéns!
    É sempre bom ter uma carta deta, para as nossas perdas diárias.

    Atémais.
    Anny(@Annyllinha)

    5 de maio de 2009 11:41

  13. Anônimo

    Perfeito!!!!!!!

    19 de setembro de 2009 10:01

  14. SMM says:

    Legal o teu blog, gostei muito. Se puder me visite, http://sindromemm.blogspot.com

    28 de maio de 2010 17:00

  15. Grudi says:

    Bruno... tuas palavras me couberam como luva.
    Achei o blog por acaso.
    Me acalmou a alma. Um pouco. Por hora(s).
    Gabi.

    23 de novembro de 2010 17:33